terça-feira, 25 de maio de 2010

Por onde anda o ator de Ed Banana, Palhaço Fosco e Chiquinho do programa da Eliana?




Foi por acaso que Edilson Oliveira, que ficou conhecido como o Chiquinho, do programa Eliana & Alegria, da Record, entrou para o mundo televisivo. Em uma visita à sede da TVS, em São Paulo (hoje SBT), o então office-boy recebeu um inesperado convite da diretora Olga Maria para trabalhar na emissora.

Com apenas 16 anos, Edílson encarava o seu primeiro desafio profissional como produtor. Não demorou muito e o jovem garoto começava a galgar cargos na emissora paulista. Pouco tempo depois, Edilson já era coordenador de produção e, cada vez mais, conseguia conquistar a confiança dos que lhe cercavam.

O que Edílson Oliveira não esperava é que o programa que ele produzia sairia da grade da emissora, pouco tempo depois. Mais uma vez a sorte e o bom de trabalho contaram para que o então produtor não passasse apuros. Sua diretora, na época, pediu para que o então superintendente Vicente de Melo o transferisse de produção e, pouco tempo depois, Edílson começava a produzir o programa Bozo.

Devido ao grande sucesso e os altos índices de audiência que o programa conquistava naquela época, o SBT tinha boa parte da sua programação destinada ao palhaço. Bozo entrava no ar às 7 horas e prosseguia durante a manhã inteira.

Para que o programa conseguisse se manter no ar durante as muitas horas de exibição, Silvio Santos criou a Família Bozo, e novos atores realizaram testes para integrar o elenco da Família.

O Papai Papudo era interpretado por Gibe, a Vovó Mafalda ficou famosa na pele do diretor Valentino Guzzo, Kuki era o personagem de Roni Cócegas, Salsi Fufu era o então jurado Pedro de Lara e Edílson estreou na tevê como Tereuteuteu.

Dali foi um passo para que Edílson descobrisse realmente a sua veia artística. Com a saída de um manipulador de bonecos, Edílson se prontificava a cobrir a lacuna deixada pelo ator.

Durante muito tempo o apresentador foi a voz do boneco Zecão e quando Arlindo Barreto decidiu sair do programa, Edílson interpretou o palhaço mais famoso do mundo.

Edílson encarou mais um desafio e o um novo Bozo surgiu. Foram dois anos e meio de shows por todo o Brasil e de programas de tevê até o ano de 92, quando o SBT decidiu tirar o programa do ar.

Como Edílson já estava na emissora há tempos e participava de outras produções da casa, o ator foi aproveitado em outros programas. Valentino Guzzo, a Vovó Mafalda, ganhou novo programa na emissora, e, lá foi Edílson manipular os fantoches Michilin e Firmino.

Mesmo com o emprego “garantido”, Edílson nunca se contentou em estar em uma produção, assim, o ator conseguia ganhar cada vez mais espaço. Foi produtor da apresentadora Mariane. No programa da Simony fazia um papel de gênio. Quando Angélica era contratada do SBT, participava das novelinhas da atração.

Edílson tambpem estave presente no programa Veja o Gordo, de Jô Soares, no SBT. Lá, ele participava de vários quadros, inclusive, no dos orientais Xan Xin Xon.

Paralelamente com a estréia do Palhaço Fosco, Edílson aceitou, mais uma vez, o convite do SBT e produziu o Táxi do Gugu. Mas, mas Eliana havia sido contratada pela emissora de Silvio Santos e Edílson foi produzir seu programa.

Logo que a ex-cantora do grupo As Patotinhas, Eliana, foi contratada pelo dono do Baú, Edílson voltou a ser manipulador de bonecos, dessa vez o Gênio do Poço`. Porém, o Festolândia saiu do ar e um novo programa estava em fase de produção para Eliana.

A partir do Bom Dia & Cia, Edílson viu a sua carreira deslanchar. Ao lado da loirinha, o ator manipulava Flitz, um lúdico computador destinado ao público infantil. Tempos depois, veio o Melocoton, a minhoca Bizuca e a Recicléia, uma boneca totalmente reciclada.

A audiência do programa cresceu e Eliana recebeu uma proposta para trocar o SBT pela Record. Edílson também foi junto com a apresentadora.

No Eliana & Alegria, da Record, Edílson consagrou-se com o atrapalhado Chiquinho. Um garoto urbano, que andava mais a pé do que ônibus e, tempos depois, o personagem viria a ser um câmera-man atrapalhado.

Em alta com o personagem, Edílson foi convidado para ter um programa só seu na Record. Estreava o ED Banana, um Chacrinha dos anos 2000 que utilizava na tevê um formato radiofônico, porém, o sucesso nunca subiu à cabeça e Edílson nunca deixou de lado o programa Eliana & Alegria.

Mas uma novidade nem tão boa aconteceu com Edílson. A direção da Record decidiu extingüir o programa infantil de Eliana e Chiquinho acabou parando em outras produções da casa, até o final de seu contrato, no ano passado.

Mudança de cidade e novo emprego na TV

Disposto a viajar para descansar, Edílson escolheu passar, ao lado dos filhos e da esposa, alguns dias na Bahia. Visitando as instalações da TV Itapoan, afiliada da Record no estado, o apresentador foi recebido pelo presidente Fabiano Freitas, que o convidou para trabalhar na emissora baiana.

Edílson aceitou o convite e mudou-se para Salvador, no dia 8 de maio último, e já no próximo dia 26, estréia seu novo programa, Mundo do Chiquinho, que será exibido semanalmente aos sábados, às 11h.

Na atração, além de Chiquinho, o ator interpretará também o Chico Santos, o palhaço Fosco, e ainda ganhará o reforço da atriz Patrícia Anastácio que interpretará a Cissa Lingüiça, a prima de Chiquinho.


Fonte:O Fuxico

3 comentários:

  1. atriz.........onde q essa mulher é atriz....pelo amor de deus a mulher é a pior pessoa q eu ja vi atuando na minha vida. e o pior é q esses cara tem a coragem de coloca uma mulher q nunca atuou na vida dela como atriz.........o personagem do edilson é mto bom, mas em compensaçao essa mulher pqp

    ResponderExcluir
  2. eu nao concordo com oque este idiota da mensagem acima relatou.
    obs;eu nao acho .eu tenho certeza que isto e pura inveja devido a moça que foi convidada a participar do programa.
    vê se se orienta e conquiste também seu espaço. rídiculo!

    ResponderExcluir
  3. eu amo o chiquinho,dependentemente de quem esteja atuando ao seu lado, chiquinho sou seu fã desejo a voçe muito sucesso!!

    ResponderExcluir